Adolescentes emocionalmente estáveis têm menor risco de desenvolver doença mental

A estabilidade emocional avaliada ao final da adolescência é inversamente associada a doença mental grave (DMG), de acordo com um estudo publicado na revista JAMA Psychiatry.

Investigadores do University College de Londres, e colegas realizaram um estudo na Suécia para examinar a correlação dos domínios da personalidade adolescente em relação à maturidade social, energia mental e estabilidade emocional com diagnóstico posterior de DMG. Os militares suecos alistados compulsoriamente, com idades de 18 a 19 anos, foram matriculados na pesquisa desde 1 de janeiro de 1974 até 31 de dezembro de 1997.

Dos 1.017.691 homens incluídos na pesquisa, os investigadores descobriram que 4.310 desenvolveram transtorno bipolar, 784 desenvolveram desordem esquizoafetiva, 4.823 desenvolveram esquizofrenia e 5.013 desenvolveram outras psicoses não-efetivas. A baixa maturidade social, baixa energia mental e baixa estabilidade emocional foram inversamente associadas à esquizofrenia de forma dependente da dose após o ajuste, com o uso de escores médios como referência. Um padrão semelhante foi observado para outras psicoses não-efetivas. Houve correlações para transtorno bipolar com a alta e a baixa maturidade social e com a baixa estabilidade emocional. Houve correlação para transtorno esquizoafetivo com a baixa estabilidade emocional.

O estudo concluiu que a estabilidade emocional está inversamente associada a todas as DMG. O transtorno bipolar tem uma associação única em forma de U com maturidade social. As dimensões da personalidade podem, portanto, ser úteis na compreensão dos endofenotipos de DMG, e pesquisas futuras devem se concentrar em influências genéticas compartilhadas sobre a personalidade e estas doenças.

Fonte: JAMA Psychiatry. Published online May 24, 2017. DOI:10.1001/jamapsychiatry. 2017.0583.