Comer carne vermelha aumenta o risco de diabetes

Pesquisa feita com 200 mil pessoas nos Estados Unidos mostra que é mais saudável substituir carne vermelha por frutas secas, cereais integrais ou carne branca

Comer carne vermelha aumenta significantemente o risco de diabetes tipo 2, alertou um estudo feito pela Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos. No entanto, a chance diminui se a carne vermelha for substituída por frutas secas, carnes brancas, lácteos pobres em gordura ou proteínas de grão inteiro.

A possibilidade de desenvolver diabetes tipo 2 aumenta 51% se forem consumidas 50 gramas de carne vermelha processada por dia, e 19% se forem ingeridas 100 gramas diárias de carne vermelha in natura, de acordo com a pesquisa publicada na American Journal of Clinical Nutrition na última quarta-feira, 10.

“Claramente, os resultados deste estudo têm implicações na saúde pública, em vista da epidemia crescente de diabetes tipo 2 e do consumo de carnes vermelhas em todo o mundo”, disse o principal autor do estudo, Frank Hu.

A pesquisa consistiu em analisar questionários que profissionais da saúde submeteram a mais de 200 mil pessoas nos Estados Unidos. As pessoas estudadas foram acompanhadas entre as idades de 14 e 28.

A diabetes tipo 2 é uma doença crônica que afeta 350 milhões de adultos em todo o mundo. Nos Estados Unidos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças estimam que mais de 10% dos adultos maiores de 20 anos sofram com a doença — um total de 25,6 milhões.

Mais informações: American Journal of Clinical Nutrition

Comer carne vermelha aumenta o risco de diabetes
Rolar para o topo