Distúrbio leve de sono é suficiente para causar depressão, mostra estudo

Interromper a respiração durante o sono e bufar, ou seja, expirar com força, estão associados a depressão inclusive em pessoas cujos sintomas não atendem aos critérios para o diagnóstico da apneia obstrutiva do sono, de acordo com um novo estudo.

Pesquisadores estudaram 9.714 homens e mulheres participantes de uma pesquisa nacional de saúde realizada pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Eles usaram entrevistas sobre sintomas de sono e um questionário validado que ajuda a diagnosticar a depressão em adultos. O relatório aparece na edição de abril do periódico Sleep.

Entre aqueles com diagnóstico de apneia obstrutiva do sono, a depressão foi mais do que duas vezes mais comum entre os homens e mais do que cinco vezes mais comum entre as mulheres, em comparação aos indivíduos que não apresentam apneia obstrutiva do sono.

Mas os pesquisadores também descobriram que aqueles cujos parceiros relataram respiração interrompida durante o sono e o ato de bufar também eram significativamente mais propensos a ter depressão, com a probabilidade aumentada de acordo com o aumento da frequência de sintomas.

Homens afetados cinco ou mais noites por semana possuem quase quatro vezes mais probabilidades de sofrer depressão em relação àqueles que nunca tiveram os sintomas. Já as mulheres possuem uma probabilidade mais de duas vezes maior de terem depressão.

Anne G. Wheaton, epidemiologista do CDC que conduziu o estudo, disse que os sintomas podem conduzir a um sono mais leve e uma redução de oxigênio para o cérebro, os quais podem levar a problemas psicológicos.

Fonte: The New York times

Distúrbio leve de sono é suficiente para causar depressão, mostra estudo
Rolar para o topo