Estudo confirma baixa ingestão de frutas e hortaliças

A pesquisadora Lenise Mondini (Instituto de Economia Agrícola da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo) e seus colaboradores avaliaram o consumo de frutas e hortaliças (verduras e legumes) por adultos, e identificaram variáveis sociodemográficas e de estilo de vida associadas ao consumo desses alimentos.Os autores do estudo observaram que apenas 24% dos homens e 38% das mulheres atenderam à recomendação mínima do consumo de frutas e hortaliças

O estudo foi realizado na área urbana da cidade de Ribeirão Preto (São Paulo), em 2006, com amostra selecionada por conglomerados. A amostra foi composta por 930 participantes com 30 anos e mais.O consumo de frutas e hortaliças baseou-se em questionário de frequência semiquantitativo, utilizando-se como indicadores os escores médios de frequência de consumo de frutas e hortaliças, consumo diário e consumo mínimo desses alimentos. As variáveis independentes analisadas foram: faixa etária, estado marital, escolaridade, renda familiar per capita, estado nutricional, tabagismo e atividade física.

Os pesquisadores concluíram que apenas 24% dos homens e 38% das mulheres atenderam à recomendação mínima do consumo de frutas e hortaliças; observou-se associação positiva com a idade e renda per capita.

Mulheres com maior escolaridade e homens que viviam com a companheira consumiam mais frutas e hortaliças que os demais. Atividade física, tabagismo e estado nutricional não apresentaram associação com o consumo mínimo recomendado de frutas e hortaliças.Fatores socioeconômicos têm importante influência sobre o consumo de frutas e hortaliças e, por serem passíveis de intervenção, podem contribuir para a adoção de hábitos alimentares saudáveis.

Fonte: Revista de Saúde Pública

Estudo confirma baixa ingestão de frutas e hortaliças
Rolar para o topo