Exposição a pesticidas aumenta risco de diabetes tipo 2, mostra estudo

Um estudo realizado na Universidade de Granada, na Espanha, revela uma relação direta entre a exposição a pesticidas e a incidência de diabetes tipo 2 em adultos.

Em artigo publicado na revista Environmental Research, os pesquisadores demostraram que as pessoas com maiores concentrações de DDE (susbstância presente no pesticida DDT, proibido no Brasil) são quatro vezes mais propensos a ter diabetes tipo 2. Além disso, a doença também foi relacionada à exposição ao beta-HCH, presente no lindano (de uso limitado no Brasil).

O estudo analisou as concentrações de pesticidas no tecido adiposo de 386 indivíduos.

As substâncias analisadas são encontrados na comida, no ar ou na água. Elas tendem a se concentrar na gordura do corpo. Isso pode ser uma das razões pelas quais pessoas obesas são mais propensas ao diabetes, segundo os pesquisadores.

Segundo Juan Pedro Arrebola, um dos autores, o mecanismo de ação pelo qual os pesticidas aumentam o risco de diabetes ainda não está claro. No entanto, alguns cientistas sugerem que essas substâncias podem provocar uma resposta imunológica ao alcançar receptores de estrogênio (hormônio feminino) associados ao metabolismo do açúcar e presentes nos tecidos.

A prevalência de diabetes no mundo tem aumentado significativamente nas últimas décadas. Estima-se que, em 2030, 4,4% da população mundial terá esse distúrbio metabólico.

Fonte: BOL Notícias

Exposição a pesticidas aumenta risco de diabetes tipo 2, mostra estudo
Rolar para o topo