Grávidas que comem junk-food podem viciar seus bebês

Você escolhe o nome: em inglês é junk food.

Em português é “comida lixo”, “comida porcaria”, “comida de plástico” e várias outras denominações pouco elogiosas.

Trata-se das também chamadas “comidas rápidas”, de baixo valor nutricional e elevados teores de gordura, açúcar ou sal.

Se ainda faltava uma razão para evitá-las, agora não falta mais.

Beverly Muhlhausler e seus colegas da Universidade de Adelaide (Austrália) comprovaram que as mães que comem comida porcaria durante a gravidez alteram a rota de sinalização de opioides também no seu bebê.

Essa alteração faz com que os bebês nasçam com menor sensibilidade aos opioides, que são liberados durante o consumo de alimentos ricos em gordura e em açúcar.

O resultado é que essa criança terá uma “alta tolerância” à comida porcaria, significando que ela precisará comer mais para se sentir satisfeita.

“Este estudo mostra que o vício em comida porcaria é um vício real,” disse Gerald Weissmann, editor do renomado jornal científica FASEB, que publicou a pesquisa.

“A comida porcaria envolve a mesma química do corpo que o ópio, morfina ou heroína. É triste dizer, mas comida porcaria durante a gravidez transforma as crianças em viciados em comida porcaria,” acrescenta o pesquisador.

Mais informações: Journal of the Federation of American Societies for Experimental Biology

Grávidas que comem junk-food podem viciar seus bebês
Rolar para o topo