Maconha agrava o risco de psicoses

O consumo de cannabis, mais conhecida por marijuana [ou maconha], pode aumentar em 41% o risco de psicoses em fases mais tardias da vida. Esta é a conclusão do trabalho de um grupo de investigadores das Universidades de Bristol e de Cardiff, no Reino Unido, e que fizeram uma revisão de uma série de 35 estudos realizados nas últimas décadas. Publicado na prestigiada revista Lancet, o estudo salienta que “foi identificada uma associação consistente entre o uso de cannabis e sintomas psicóticos, incluindo doenças psicóticas persistentes”.

Os cientistas verificaram, também, que mesmo o uso esporádico destas drogas representa um risco acrescido no surgimento tardio de problemas mentais de tipo psicótico, sendo que este risco aumenta quando o consumo da droga é regular.

A cannabis é a droga mais vulgarizada, sobretudo entre as faixas etárias mais jovens, na maioria dos países europeus. Em Portugal, a regra confirma-se, sendo que 7,6% da população (760 mil pessoas) já a consumiram.

Comentando estes dados, o Dr. João Goulão, Presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência [de Portugal], corrobora os dados dos cientistas britânicos, dizendo: “Há cinco vezes mais psicóticos entre os consumidores de cannabis do que no resto da população”. E a propósito destes resultados, a revista Lancet, em editorial, afirma que “os governos deveriam investir em campanhas prolongadas e eficazes sobre os riscos da cannabis para a saúde.”

Enquanto esperamos isso, da nossa parte, alertamos os nossos leitores, em especial os mais jovens, para as grandemente nocivas consequências destes consumos, muitas vezes considerados light, mas que estão muito longe de o ser!

Fonte: DN/Lancet/Saúde&Lar

Maconha agrava o risco de psicoses
Rolar para o topo