O mito da cura química

Acredita-se amplamente que tomar uma pílula para tratar depressão funciona, por ela reverter um desequilíbrio químico. Mas a Dra. Joanna Moncrieff, do departamento de ciências da saúde mental da Universidade College London, afirma que na verdade as pílulas põem os pacientes em “estados induzidos por medicamentos”.

Se você já se consultou sobre problemas emocionais em algum momento nos últimos 20 anos, deve ter sido informado que possui um desequilíbrio químico e que precisava de remédios para corrigi-lo.

E não são apenas os médicos que pensam assim.

Revistas, jornais, organizações de pacientes e sites na internet publicaram a idéia de que condições como a depressão, ansiedade, esquizofrenia e distúrbios bipolares podem ser tratadas por drogas que ajudam a retificar um problema oculto do cérebro.

Pessoas com esquizofrenia e outras condições são frequentemente informadas de que precisam tomar medicação psiquiátrica pelo resto de suas vidas para estabilizar a química cerebral, assim como diabéticos precisam de insulina.

O problema é que existe pouca justificação para essa visão das drogas psiquiátricas.

Tais drogas afetam as pessoas com problemas emocionais como o álcool ou a maconha. São remédios psicoativos, que colocam pacientes em estados alterados da mente e do corpo. E afetam qualquer um, independentemente de existir um distúrbio mental ou não.

Para entender como isso afeta as pessoas, é preciso analisar primeiro os efeitos produzidos.

A Dra. Joanna Moncrieff acredita que tais remédios funcionam, pois produzem estados induzidos que suprimem ou mascaram problemas emocionais. “Isso não quer dizer que remédios psiquiátricos não podem ser úteis às vezes, mas que as pessoas precisam ter consciência do que fazem e dos efeitos que produzem.” Para a doutora, se os pacientes fossem bem informados, o tratamento com medicação talvez não parecesse sempre tão atraente.

Para tomar uma decisão em relação ao uso de tais medicamentos, médicos e pacientes precisam de muito mais informações sobre a natureza dos remédios psiquiátricos e os efeitos que produzem.

Fonte: BBC Health