Pesquisa diz que consumo de carne vermelha diminui expectativa de vida

Estudo americano concluiu que consumo tem ainda riscos de desenvolver doenças do coração, câncer e diabetes.

Pesquisadores nos Estados Unidos querem estragar o churrasco: o consumo cotidiano já de um bifinho de carne vermelha, segundo eles, diminui consideravelmente a expectativa de vida.

No Rio Grande do Sul é onde estão os campeões do consumo no Brasil. Segundo o Sindicato da Indústria de Carnes, cada gaúcho come 45 kg por ano, contra 36 kg dos moradores de outros estados.

Mas comer tanta carne não faz bem. Pelo menos é o que mostra um estudo da universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Segundo os pesquisadores, quem come carne vermelha diariamente corre o risco de morrer mais cedo.

Os pesquisadores acompanharam 120 mil pessoas durante quase 30 anos. A conclusão é a de que o consumo de carne vermelha pode diminuir a expectativa de vida em 13% e tem ainda os riscos de desenvolver doenças do coração, câncer e diabetes.

Linguiça, salsichas e hambúrguer foram considerados os maiores vilões da dieta. Resultados que coincidem com um estudo feito pelo Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul. “Alterações do colesterol são dependentes da gordura que está acoplada à carne ou a pressão arterial aumenta pela quantidade de sódio que é usado como conservante”, alerta o cardiologista, Iran Castro.

Para viver mais e melhor, os pesquisadores americanos sugerem diminuir o consumo de carne vermelha e comer mais peixe, frango, verduras e legumes como feijão, lentilha e espinafre. O problema, principalmente para os gaúchos, é que alguns desses ingredientes não podem ser colocados na churrasqueira.

Fonte: Portal G1

Pesquisa diz que consumo de carne vermelha diminui expectativa de vida
Rolar para o topo