Preocupação excessiva pode prejudicar relacionamentos, afirma estudo

Pesquisadores da Universidade Case Westen, nos Estados Unidos, apontam que pessoas que se preocupam demais, chegando a comportamentos obsessivos, são portadoras do chamado Transtorno de Ansiedade Generalizada. Pessoas que sofrem com essa ansiedade generalizada, tendem a priorizar seus relacionamentos sociais, seja com a família, amigos ou colegas de trabalho.

A forma como o indivíduo lida com a preocupação é que determina a gravidade da doença. Alguns se aproximam excessivamente das pessoas com as quais se preocupam, enquanto outros podem desligar-se totalmente delas.

O estudo envolveu pacientes que se tratavam do Transtorno de Ansiedade Generalizada, e os cientistas observaram que esses manifestam suas preocupações de maneiras diferentes, de acordo com sua forma particular de interação com os outros. Os pesquisadores conseguiram identificar quatro estilos predominantes de interação entre as pessoas com ansiedade generalizada: intrusivo, frio, não-assertivo e explorável.

Segundo Amy Przeworski, autora da pesquisa, “todos os indivíduos com esses estilos preocupam-se na mesma intensidade, de forma extrema, mas manifestam essas preocupações de formas diferentes”. A pesquisadora sugere que, devido às descobertas, as terapias para tratar o Transtorno de Ansiedade Generalizada devem focar tanto as próprias preocupações quanto os respectivos problemas interpessoais.

 Mais informações: Case Western Reserve University

Preocupação excessiva pode prejudicar relacionamentos, afirma estudo
Rolar para o topo