Raiva aumenta o risco de um ataque cardíaco

Uma novo estudo sugere que pacientes com doenças cardiovasculares e que vivenciam frequentemente sentimentos de raiva, são mais vulneráveis a sofrerem um novo infarto do miocárdio (IM), conhecido popularmente como ataque cardíaco.

Ao longo de um período de 10 anos, os pacientes com doença cardiovascular que não sentiam raiva de forma recorrente e/ou persistente, apresentaram uma sobrevida livre de IM na ordem de 78,5%, em comparação com apenas 57,4% dos pacientes que vivenciavam o sentimento de raiva mais frequentemente, disse o Dr. Franco Bonaguidi, do Instituto de Fisiologia Clínica de Pisa (Itália).

Em seu estudo, o Dr. Bonaguidi tentou avaliar os traços psicológicos de pacientes cardiopatas, especialmente o quesito sentimento de raiva.Estes pacientes responderam a questionários psicológicos que poderiam afetar o prognóstico destes pacientes sobreviventes de um IM.

Além da avaliação psicológica, o seu grupo analisou dados clínicos, tais como fatores de risco cardiovasculares tradicionais, como pressão alta, diabetes, tabagismo e anormalidades do colesterol. O Dr. Bonaguidi recrutou 228 pacientes, 200 dos quais eram homens. Ao longo do estudo, 51 pessoas sofreram eventos coronarianos: 28 mortes e 23 casos de IM.

Baseado em uma análise multivariada, uma alta pontuação de raiva e distúrbios relacionados ao estresse aumentaram o risco de novos eventos cardíacos, concluiu o Dr. Bonaguidi.”A raiva é uma emoção primitiva que muitas vezes não pode ser controlada voluntariamente. Ela pode ter uma função construtiva quando serve para superar obstáculos e atingir os objetivos certos, no entanto, em muitos casos, pode acarretar prejuízos para a saúde dos pacientes cardiopatas”, finaliza o Dr. Bonaguidi.

Mais informações: WebMD

Raiva aumenta o risco de um ataque cardíaco
Rolar para o topo