Ritmo de caminhada indica longevidade

Embora os pesquisadores já soubessem que a velocidade da caminhada é um bom índice para saber quão saudável ou ativa é uma pessoa, um novo estudo sugere que a velocidade empregada pode ser também um forte preditor para saber quanto tempo viverá.

Um grupo internacional de cientistas relatou na revista Journal of American Medical Association que a velocidade da marcha pode predizer a sobrevida com exatidão confiável.

Após a análise dos dados de nove grandes estudos de idosos realizados entre 1986 e 2000, os pesquisadores, liderados pela Dra. Stephanie Studenski da Universidade de Pittsburgh, descobriram que entre os homens com idades entre 75 e 84 anos, por exemplo, aqueles com maiores velocidades de caminhada (mais de 1,4 metros/segundo) aumentaram em 92% suas chances de viver 10 anos mais, enquanto aqueles que andaram mais lentamente, a 0,4 metros/segundo, aumentaram em 15% suas chances.

Mulheres gozariam de benefícios semelhantes se andassem mais rápido, ainda que aquelas com a menor velocidade tivessem uma chance maior de sobrevida de 35%, em relação aos homens.

Os resultados confirmam estudos anteriores que haviam vinculado a velocidade de caminhada com a saúde, mas, pela primeira vez, o benefício é quantificado de uma maneira que pode ser útil para os médicos que tratam pacientes mais velhos.

Com que rapidez uma pessoa caminha é um bom indicador de como uma variedade de seus sistemas de órgãos está funcionando, desde os músculos e sistema esquelético até o coração, pulmões, sangue, cérebro, nervos e células.

A avaliação da função global de uma pessoa por meio de sua velocidade de caminhada pode ser uma maneira fácil e barata para os médicos determinarem, por exemplo, se seus pacientes poderiam se beneficiar de medidas de saúde preventivas, tais como mudanças na dieta ou exercício, que podem prolongar sua sobrevida ainda mais.

Ou, alternativamente, o teste pode identificar os pacientes que estão em pior estado de saúde, e pode melhorar suas chances de sobrevida com tratamentos complementares ou outras intervenções médicas. Ao acompanhar a velocidade da caminhada, os médicos podem também avaliar se a saúde de um paciente está em declínio ao longo do tempo, já que uma desaceleração na marcha pode sinalizar um problema médico iminente.

O que os dados não sugerem, no entanto, é que qualquer um pode estender sua vida simplesmente andando mais rápido. “Nós não queremos que as pessoas simplemente deixem o carro e caminhem mais rápido”, diz Studenski. “O que estamos dizendo é que seu corpo seleciona a melhor velocidade de passeio para você com base em sua capacidade, segurança e outros fatores.

Mas os sistemas que contribuem para a sua velocidade podem ser aperfeiçoados. Então, como resultado do seu interesse pela saúde, o que implica na prática rotineira da caminhada, sua velocidade irá mudar naturalmente.

Ela também salienta que o estudo não mostra que se você é um caminhante lento, acelerar seu ritmo realmente pode acrescentar anos à sua vida. Os resultados apontam apenas que uma pessoa com marcha mais rápida mostra uma tendência a viver mais tempo.

Mas as descobertas não sugerem que aqueles que são capazes de manter um passo vigoroso podem estar com uma saúde global melhor, e essa é a mensagem que pretende transmitir Studenski. “O jeito de andar”, diz ela, “é um reflexo do estado de muitos dos sistemas de seu corpo.”

Fonte: My Health News Daily

Ritmo de caminhada indica longevidade
Rolar para o topo